A escolha do Banho e Tosa é coisa muito séria

Cada vez mais nos preocupamos em oferecer o melhor para nossos pets, especialmente cães e gatos, e por isso, criamos o hábito de levá-los a estabelecimentos veterinários ou simples pet shops para cuidados de banho e higiene de forma rotineira.

Assim, hoje vamos discorrer um pouco sobre cuidados que devemos ter ao escolher o local do banho e tosa que levaremos nosso cão ou gato, e como ficar atentos para evitar problemas graves que podem ocorrer durante o banho, muitas vezes podendo levar nosso melhor amigo a desenvolver complicações que podem evoluir para óbito.

Que critérios você usa para escolher onde levar seu pet para tomar banho? Você leva em qualquer lugar que tiver horário o mais breve possível? Aonde cobrarem menos? Cuidado! Por desconhecimento você pode estar colocando a saúde do seu amigo em risco!

Abaixo comentamos alguns detalhes que fazem toda diferença nesses serviços.

Resultado de imagem para banho e tosa

• Muitos pet shops utilizam sabão para lavar os animais.

Em primeiro lugar, o fato de esfregar em um animal a mesma barra usada em outro, pode ocasionar a chamada contaminação cruzada, transmitindo doenças. Isso por si só já é desaconselhável.
Em segundo lugar, o pH de qualquer sabão comum (mesmo o de coco ou de glicerina) agride a pele dos animais, tirando sua proteção natural e favorecendo o aparecimento de dermatites. Portanto só devem ser usados produtos de uso veterinário. Mas como são mais caros, muitos recorrem aos sabões para aumentar sua lucratividade.

• Outro erro comum é a utilização de álcool, éter, vinagre ou algum produto sem prescrição médica veterinária para remover os pêlos de dentro da orelha. Esses produtos contêm em sua formulação substâncias que irrita a pele sensível do ouvido predispondo a otites. Portanto seu uso é contraindicado. Esses pêlos devem ser cortados, e não arrancados, salvo em alguns casos, por indicação do médico veterinário, em que estejam obstruindo o conduto auditivo e causando problemas.

• Um fato que é rotineiro em alguns estabelecimentos é a administração de sedativos, especialmente aos gatos e cães mais agitados na estética.
E o que é pior: às vezes não por um médico veterinário, mas pelo próprio esteticista. O que já é absurdo, submeter um animal ao risco da anestesia somente para fins estéticos, se torna ainda mais irresponsável quando feito por pessoal sem capacitação e sem autorização para tal. E na maioria das vezes o proprietário nem fica sabendo que o animal passou por isso.

• Uma grande (e perigosa) pratica a tolha compartilhada: a mesma toalha é usada em vários animais, banho após banho! Ou seja, talvez você pague menos pelo serviço, mas pagará pelo enorme risco de transmissão de doenças.

*** Verifique se as toalhas são descartáveis (embaladas individualmente e depois descartadas).

Para a segurança do seu animal verifique sempre o nome da empresa que faz os procedimentos de esterilização das toalhas do pet shop que seu cão freqüenta e na dúvida entre em contato com a empresa para conhecer os procedimentos aplicados na higienização das toalhas. E sempre fique atento na escolha do banho e tosa que você leva seu cão ou gato.

• Uma prática comum nas estéticas, e que inclusive é ensinada em cursos de banho e tosa, é “espremer as glândulas perianais” dos cães e gatos.

Essas glândulas produzem um líquido de cheiro característico, que os animais usam para identificação. A drenagem desse líquido ocorre naturalmente com a passagem das fezes. Não há necessidade de espremer as glândulas saudáveis. Pelo contrário, isso pode estimular ainda mais a secreção e causar inflamações.

• Outro ponto crítico é a desinfecção dos materiais utilizados na estética.
Lâminas, rasqueadeiras, pentes e outros equipamentos devem ser periodicamente desinfetados com produtos específicos.

ATENÇÃO:
Verifique se existe um Médico Veterinário responsável pelo Pet Shop e que fique presente o tempo todo no local. Em caso de acidentes ou mesmo se o seu animal passar mal durante o banho a presença do Médico Veterinário pode ser decisiva e informe-se sobre os métodos e produtos utilizados.

Observe o seu animal antes, durante e depois do banho.

Verifique se ele fica tranqüilo durante e depois do banho e se nas outras vezes ele vai tranqüilo ao banho ou se isso passa a ser um martírio. Se o animal não tiver traumas (se o banho for tranqüilo e agradável), não é raro o animal gostar de ir ao Pet Shop tomar banho.
A vidraça nos Pet Shops que permitem assistirmos aos banhos pode ser uma faca de dois gumes. Por um lado é importante vermos como tratam os nossos pets, mas se o seu animal ficar vendo você o tempo todo, isso pode deixá-lo ansioso para sair de lá e com isso atrapalhar o banho e principalmente a tosa (quando o animal deve ficar quieto). O ideal é que você veja o animal, mas que ele não te veja.

Assim, além de limpinho e perfumado, seu pet vai estar sempre saudável!

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews