Acumuladores de animais: Animais e humano precisam de socorro

A Síndrome de Noé é uma acumulação excessiva de animais. Ela pode ser leve ou grave. Em alguns casos, a acumulação não tem muito impacto na vida, enquanto em outros casos, o seu desempenho é gravemente afetado. E chegam a ter mais de 100 bichos em casa; patologia ainda é pouco estudada

Essa acumulação é muito perigosa, pois gera condições de vida precárias e graves, para os animais e para os humanos, e superlotação nas casas. Não está claro o que causa a doença de acumulação. No entanto, o que é certo neste tipo de síndrome, o que às vezes nos surpreende, é o fato dela ser mais comum do que parece.

Este tipo de distúrbio de acumulação afeta as emoções, os pensamentos e os comportamentos. Não só da pessoa, mas também coloca em risco a vida dos animais. Essas pessoas tendem a acumular animais, porque elas acreditam que será necessário ou terá valor no futuro. Os animais têm, para elas, um importante significado emocional, que serve como um lembrete de tempos mais felizes, sentem-se mais seguras quando cercadas por animais.

A acumulação de animais é uma manifestação do Transtorno de Acumulação. A grande diferença é que, ao invés de objetos, a pessoa vai ter animais acumulados. Além disso, não é o número de animais, em si, mas as condições precárias em que eles e as pessoas vivem, sem condições mínimas de higiene e saneamento.

A saúde e a segurança das pessoas e animais estão em risco devido a condições insalubres. Nestes casos, quanto mais rápido você agir, melhor será. Não apenas você poderá salvar a vida de uma pessoa, mas também de vários animais. Preste atenção e não se esqueça de fazer alguma coisa para proteger a vida deles.

Sintomas

A desordem é, normalmente, um dos primeiros sinais e sintomas do distúrbio de acumulação. Em geral, esse distúrbio pode se apresentar de maneira normal na adolescência.

Então, quando a pessoa envelhece, ele ou ela começa tipicamente a adquirir coisas as quais não há necessidade ou espaço. Em idade avançada, os sintomas são muitas vezes graves e podem ser mais difíceis de tratar.

Este tipo de distúrbio de acumulação afeta as emoções, os pensamentos e os comportamentos. Não só da pessoa, mas também coloca em risco a vida dos animais.

Os sinais e sintomas podem incluir:

  • Incapacidade permanente de desapegar-se de qualquer coisa, independentemente do valor;
  • Apego excessivo às posses, incluindo mal-estar excessivo se os outros tocarem os animais ou brincarem com eles. Surge, com isso, a ideia de deixar um animal ter que ir embora;
  • Espaços desordenados, tornando inutilizáveis áreas da casa para a finalidade pretendida, tais como não ser capaz de cozinhar na cozinha ou usar o banheiro para tomar banho;
  • Interações sociais limitadas ou inexistentes.

Essas pessoas tendem a acumular animais, porque elas acreditam que será necessário ou terá valor no futuro. Os animais têm, para elas, um importante significado emocional, que serve como um lembrete de tempos mais felizes, sentem-se mais seguras quando cercadas por animais.

Pessoas com este transtorno de acúmulo, muitas vezes, não percebem isso como um problema, o que torna difícil o tratamento do transtorno. No entanto, o tratamento intensivo pode ajudar essas pessoas a compreenderem as suas compulsões e a viverem suas vidas de forma mais segura e agradável.

Não está claro o que causa a doença de acumulação. Estuda-se a genética, a química do cérebro e os eventos estressantes da vida como as possíveis causas. No entanto, o que é certo neste tipo de síndrome, o que às vezes nos surpreende, é o fato dela ser mais comum do que parece.

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta