Bolinha, a cadela que assistia missa morre suspeita de envenenamento em Gravatá, PE

Cadelinha era conhecida pela população da cidade por acompanhar fielmente todas as missas e celebrações e ficar no altar da igreja ao lado do pároco

Cadelinha era conhecida pela população da cidade por acompanhar fielmente todas as missas e celebrações e ficar no altar da igreja ao lado do pároco em tudo que era evento, seja ele religioso, enterros ou até mesmo inaugurações.

Infelizmente, na manhã deste sábado (28), surgiu a informação que de Bolinha possivelmente foi vítima de envenenamento.

Bolinha era popular na cidade e chegou a ser tema de reportagem de uma TV Aberta, repercutindo no estado. Recentemente, Bolinha foi vista no Virtuose 2018, onde protagonizou uma cena ao lado dos músicos, Rafael Altino e Victor Asuncion, sendo aplaudida por bom comportamento.

Padre de Gravatá lamenta morte de Bolinha, mascote da Igreja Matriz

O padre João Paulo Araújo Gomes responsável pela paróquia de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, e conhecido por acolher animais de rua e permitir que eles acompanhem suas missas, fez uma homenagem emocionada nas redes sociais para se despedir da cadelinha Bolinha, considerada a mascote da igreja. O animal, que costumava marcar presenças nas celebrações, já era conhecida pela população da cidade como a cachorrinha do padre e como a guardiã da Igreja Matriz, onde encontrava carinho e afagos dos fiéis.

De acordo com o pároco, Bolinha chegou na igreja na segunda-feira (23) — para onde corria sempre que ouvia os sinos tocarem — com sinais de um suposto envenenamento e deixou de comer. A cadela foi socorrida em uma clínica veterinária e, na quarta-feira, começou a ter febre.

Na postagem de despedida feita em seu perfil no Facebook, compartilhada 11 mil vezes e comentada por mais de oito mil pessoas, o padre João Paulo se refere a Bolinha como “nosso anjinho” e diz que ela voou para o céu. “Seu corpinho vai ser colocado no jardim da Casa Paroquial em meio às flores e o canto dos pássaros”, diz o religioso na postagem.

Além de agradecer pelo apoio de grupos de defesa animal, de protetores e pela assistência prestada pelos veterinários que atenderem Bolinha, o padre fez um apelo: “A melhor homenagem a ela é cuidar dos animais de rua, socorrer, adotar”.Assídua frequentadora das missas do padre João Paulo e já tinha lugar cativo no altar. Foto: Divulgação

NÃO É O PRIMEIRO CASO:

Outra cadela famosa na cidade, conhecida como “Pipoca“, também foi vitima da criminalidade. Ela era bastante conhecida por fazer a segurança da Praça da Rua do Prado, e aparecer em eventos da cidade. Era tão conhecida que ela virou nome de Praça. “A Praça da Pipoca“, imagina onde? no Prado.

Depois da realização de exames, ela foi diagnosticada com uma infecção e operada na sexta-feira (27), mas não resistiu. “Perdoe-me, Bolinha, se eu não fiz tudo o que podia fazer por você, pra te proteger e defender. Perdoe-me pela maldade das pessoas que eu não consegui evitar. Sempre acreditei que você não era minha, mas era de todos dessa cidade. Meu anjinho tao linda, tão meiga e tão bondosa”, escreveu ele em um dos textos homenageando o animal.

O corpo de Bolinha foi sepultado neste sábado (28), no jardim da casa paroquial. Em reverência a ela, foi feito um toque especial dos sinos da Igreja Matriz ao meio-dia.

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta