Cães vão às ruas em ‘latidaço’, protesto contra saída da União Europeia

Um “Au-au-ferendo” é realizado em Londres neste domingo, em frente ao Parlamento, quando milhares de cachorros (acompanhados de seus donos) manifestam sua oposição à saída do Reino Unido da União Europeia (UE) e pedir um segundo referendo. 

Centenas de cães de todas as raças e seus proprietários saíram em passeata neste domingo (7) em Londres para exigir um novo referendo sobre o Brexit. 

Resultado de imagem para Donos de cachorro fazem 'latidaço' por novo referendo sobre o Brexit
Os manifestantes e seus companheiros de quatro patas marcharam no centro da capital britânica até o parlamento de Westminster.

O autor da iniciativa batizada de “Wooferendum” [ou Auferendo, em tradução livre], Daniel Elkan, explicou que sua intenção era criar “o maior latido do mundo”, capitalizando o excesso de amor dos britânicos por seus animais de estimação, na tentativa de bloquear o Brexit.

“Queremos criar o maior latidaço do mundo”, explica em comunicado o autor da iniciativa, Daniel Elkan, capitalizando o amor dos britânicos por seus animais de estimação a fim de tentar impedir o Brexit.

Com o movimentos “pelos cachorros, pelos humanos”, ele espera reunir de 4 mil a 5 mil cães, que vão desfilar no centro da capital, saindo do Parlamento em direção à Downing Street, onde fica o gabinete da primeira-ministra Theresa May. Lá, será entregue uma petição em que os signatários pedem um novo referendo sobre a separação.

Os peticionários postaram no Youtube o vídeo “The Wooferendum is coming” (“O Au-au-ferendo está chegando”), com diversos cães que expressam seu ponto de vista sobre a saída com placas. 

“Sabemos que o Brexit será desastroso para os humanos, mas ele também pode se mostrar nocivo para nossos animais de estimação”, afirma Dominic Dyer, um dos organizadores do evento.

Cachorros fizeram xixi em fotos de defensores do Brexit, como Nigel Farage e Boris Johnson, durante protesto contra a saída do Reino Unido da União Europeia — Foto: Tolga Akmen / AFP
Cachorros fizeram xixi em fotos de defensores do Brexit, como Nigel Farage e Boris Johnson, durante protesto contra a saída do Reino Unido da União Europeia — Foto: Tolga Akmen / AFP

Escassez de veterinários, aumento do preço dos alimentos, fim do passaporte europeu para os animais… A lista de lados ruins do cenário chega a considerar o cenário de uma recessão, que forçaria proprietários a abandonar seus animais em canis sobrecarregado. 

O Brexit foi votado por 52% dos britânicos em junho de 2016 e deve entrar em vigor em 29 de março. Os críticos exigem a organização de um segundo referendo sobre o resultado das negociações com a UE, ainda inacabado, na esperança de derrubar a decisão.

Cães e seus donos protestam em Londres contra o Brexit

Petição assinada pelos cães

“É simpático falar sobre um assunto tão sério de uma forma tão divertida – todo mundo adora cachorros”, disse Flora Renz, professora universitária.

Esta alemã de 30 anos vive no Reino Unido há dez anos. Ela saiu com Billy, um beagle de três anos, usando uma bandeira europeia.

“Espero que as pessoas tenham algum bom senso. Não sei se um segundo referendo é a melhor solução, mas tudo é melhor do que o que está acontecendo agora”.

 

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta