Criação de fundo de quintal x Cinofilia. Você sabia?

Vejo muitas pessoas julgando quem trabalha com raças específicas de animais (cães, gatos, cavalos…) sem o mínimo de compreensão da importância desses esforços na perpetuação de genes e características que darão não apenas beleza, mas saúde às futuras gerações.

Você sabia que um criador de cães responsável, que trabalha com seleção genética e cinofilia, faz uma avaliação minuciosa de reprodutores baseada em exames clínicos e laboratoriais para evitar que doenças genéticas aconteçam com os filhotes, dentre elas displasia coxofemural, criptorquidismo, alopecia x e muitas outras?! 

Você sabia que um animal selecionado geneticamente representa para seu criador um sonho de ver a raça sem desvios de padrão muitas vezes exigidos pelo comércio? Por esse motivo as associações de criadores não permitem mutilações como corte de orelha, de cauda, ou qualquer desvio de característica da raça visando o bem estar do animal e no intuito de evitar cruzamentos errôneos que poderiam causar patologias severas. 

Você sabia que um canil especializado nunca deixa uma vacina atrasada, afinal além de amor também é um alto risco financeiro, visto que existem animais reprodutores de muitos mil dólares.

Você sabia que a nutrição desses animais é diferenciada, sendo feito um acompanhamento em todas as fases da vida com alimentos de qualidade para favorecer o bom desenvolvimento de estruturas ósseas, pelagem, dentes, cartilagem, além de garantir uma gestação saudável?

Você sabia que um canil especializado não busca produção em série de filhotes, mas a geração de poucos indivíduos com alto valor agregado? 

Você sabia que esses animais só são vendidos com atestado de saúde, vacinação, vermifugação e com contrato para que o comprador cumpra sua parte nos cuidados com o bebê?

Você sabia que criadores responsáveis recebem assistência veterinária contínua e estão sempre preparados financeiramente para socorrer um de seus animais?

Você sabia que a maior parte dos criadores especializados não vivem da criação, possuem outra profissão que é sua fonte de sustento e reinvestem os ganhos na criação para melhoria do trabalho e dos animais?

Resumindo, existe um esforço enorme e um belíssimo trabalho por parte de quem optou pela cinofilia. Esses criadores merecem o nosso respeito pelo investimento em conhecimento e pela incansável busca no aperfeiçoamento de raças, excluindo do plantel muitas doenças genéticas que causam tanto sofrimento aos seus portadores.

Obviamente existem muitos criadores de fundo de quintal que não fazem nada disso e exploram a criação animal como sobrevivência e por isso fazem tudo sem critério e sem limites. Precisamos nos informar para saber diferenciar as coisas e inclusive apoiar quem faz o trabalho direito e desestimular a compra de cães de canis de fundo de quintal.

E porque não adotar um cão ao invés de comprar? Acho que cada um tem o direito de decidir o melhor pra sua vida, pra sua casa, pra suas necessidades. Existem características físicas e psicológicas específicas de algumas raças que podem ser desejadas, como por exemplo animais que não latem com frequência (importante para condomínios), animais extremamente calmos (apropriados para idosos), animais agitados (adequado para crianças hiperativas).

A adoção também é algo muito especial. Adotar um filhote SRD é uma excelente opção para quem tem amor acima das limitações de espaço ou estilo de vida, evitando com isso a devolução de cães por falta de adaptação com o animal. A adoção de um cão SRD idoso tem também muitas vantagens, como companheirismo, além de ser um cão calmo e capaz de estabelecer uma relação de afetividade como qualquer outro cão.

O erro não é criar cães de raça, mas sim ter a necessidade de viver disso como fonte financeira exclusiva e sem critérios. Isso vale também para abrigos. Vejo muitos protetores reclamando que está difícil arrumar verbas para tratar animais de resgate e parte disso deve-se ao fato que “proteção” está virando profissão e a cada dia surgem supostos protetor pedindo dinheiro e vivendo de doação. A consequência é faltar pra quem realmente faz o trabalho de proteção.

Trabalhar com animais de raça ou SRD exige ética, respeito, amor e dedicação. Faça sua parte e não generalize!

Existem os verdadeiros criadores e os verdadeiros protetores.

Maíra Corona – Médica Veterinária – Clínica Veterinária Pet do Bem

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta