Eutanásia: Devemos sacrificar ou não o cachorro?


A eutanásia é um assunto muito delicado, realizada para sacrificar cães muito doentes que estejam sentindo muita dor e não tenham perspectiva de melhora, nem sempre a eutanásia é feita nesses casos, pois é uma decisão que deve ser tomada pelo tutor, a família humana do cão.

Nesse artigo tiramos algumas dúvidas sobre o assunto e te ajudamos a refletir a respeito, caso um dia precise decidir entre recorrer ou não ao procedimento. Esperamos que nenhum de nossos leitores precise passar por esse momento difícil.

O que é a eutanásia?

A palavra tem origem grega e significa boa morte ou morte sem sofrimento, que é exatamente o objetivo do procedimento, proporcionar uma morte mais rápida e indolor aos cãezinhos que estão sofrendo.

Como é feita a eutanásia?

Para realizar a eutanásia é dado um sedativo para o cão, para que ele relaxe, depois é dada uma injeção de forma intravenosa, com uma enorme dose de sedativos que faz o coração parar, a injeção é indolor e faz o cão relaxar até que falece, tudo em questão de segundos.

eutanásia

A maioria dos cães não reage à injeção, pois o primeiro sedativo serve para que não se assustem, podendo apenas apresentar incontinência ou um suspiro devido ao esvaziamento dos pulmões.

Quando a eutanásia é recomendada?

Alguns veterinários apenas apresentam a opção de fazer a eutanásia, enquanto outros a recomendam, mas tudo vai depender da situação de cada cão, geralmente a eutanásia é recomendada em casos que o cão não tem nenhuma perspectiva de melhora, quando tudo já foi feito e ele está apenas sentindo muita dor sem que nada possa ser feito por ele.

eutanásia

Caso sinta que seu veterinário não está fazendo todo o possível sinta-se livre para buscar a opinião de outros médicos veterinários sobre o quadro do seu cão, paralisia de alguma das patas, atrofia, ou doenças menores que possam ser tratadas, até mesmo o caso de um tumor que poderia ser retirado com cirurgia, não são casos em que a eutanásia é recomendada.

Muitos cães vivem com cadeira de rodas e próteses e tem uma vida feliz e saudável, procure saber se a situação do seu cão realmente é irreversível, caso contrário ainda é possível lutar por ele.

cão e tutor

Lembre-se que é uma decisão do tutor, mesmo sendo um cão da família, é necessário levar em consideração se aquela é a única saída, não condenamos, nem recomendamos a eutanásia, recomendamos que cada caso seja analisado e que a decisão seja tomada pelo tutor com base no que ainda pode ser feito pelo cão e no sofrimento que ele está passando.

Estar ou não com o cão na eutanásia?

Novamente a decisão é sua, se você conseguir ficar ao lado do seu cão passando carinho, amor, e conforto a ele em seu último momento, então é ótimo que seu cão possa estar com você nesse momento. Mas se você sentir que não vai conseguir se manter firme e que pode assustá-lo então recomendamos que não fique junto do cão, muitas pessoas reunidas falando e chorando junto dele também podem assustá-lo.

Após a eutanásia

cão e dono

Depois da eutanásia, você pode optar por cremar o corpinho do seu cão, deixa-lo em um cemitério para cães, enterrá-lo no seu quintal ou até mesmo deixa-lo na clínica, tudo vai depender do que vai te deixar mais confortável. Recomendamos que tome essa decisão antes da eutanásia e se possível leve um amigo para te ajudar nesse momento tão difícil.

Muitas pessoas não entendem a dor de perder um amigo de quatro patas, infelizmente alguns seres humanos apenas os enxergam como um objeto que pertence as pessoas, e não entendem esse amor tão puro que os cães possuem, portanto, queira por perto alguém compreensível e que possa te ajudar nesse momento.

Fonte: webcachorros

Qual Sua Reação? :O

Ruim Ruim
0
Ruim
Fofo Fofo
0
Fofo
Nerd Nerd
0
Nerd
LOL LOL
0
LOL
Amei Amei
0
Amei
Omg Omg
0
Omg
Triste Triste
3
Triste
Assustador Assustador
0
Assustador
Wtf Wtf
0
Wtf
Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Comments 0

Eutanásia: Devemos sacrificar ou não o cachorro?