FIV ou FELV? Como saber se seu gato tem

Infelizmente existem algumas doenças que tiram o sono de todos os gateiros. E Quando ficam sabendo da existência da FIV e da FeLV, imediatamente levam um tremendo susto. Para quem ama seus gatos, só de pensar em perdê-los ou vê-los sofrendo já aperta o coração.

Muita pessoas acreditam ser uma coisa só, mas não é. Os vírus da FIV (imunodeficiência felina, ou “Aids”) e da FELV (leucemia felina) infelizmente não tem cura.  O único tratamento é basicamente reforçar o sistema imunológico deles, para evitar contrair a doença.

Existe o vírus da FIV (Imunodeficiência felina, ou “Aids”) e da FeLV (Leucemia felina). Nenhuma das duas, infelizmente, tem cura.

A FELV, por ser um tipo de leucemia, requer quimioterapia e, em alguns casos, a transfusão de sangue.

Como o gato contrai a FIV?

A transmissão da FIV se dá basicamente pelo contato com o sangue, quando um gato é mordido ou arranhado por outro portador do vírus. Gatas infectadas também podem transmitir para os filhotes por via transplacentária ou através da amamentação.

É Importante ressaltar que a FIV só é transmitida de gato para gato, e não para humanos ou outros animais.

Quais os sintomas da FIV?

Na fase inicial da doença, o gato pode ter febre, aumento dos gânglios linfáticos e aumento da chance de contrair infecções intestinais e cutâneas. Podendo acontecer em um período de 4 a 6 semanas após o contágio.

É importante saber que a FIV apresenta uma fase latente, onde o vírus está no organismo, mas o gato não apresenta nenhum sintoma e tem a vida normal. Isso acontece normalmente com gatos jovens e com um sistema imunológico forte. Com o tempo e a idade, os gatos infectados tendem a apresentar uma baixa imunidade e podem ficar suscetíveis a doenças que podem ser fatais.

Como o gato contrai a FELV?

O Vírus da FELV pode ser transmitido através de saliva, secreção e pelo contato com fezes e urina infectada. Por isso, é comum o contágio entre gatos que compartilham a caixa de areia ou potes de água e comida. Gatas infectadas também podem transmitir para filhotes por via transplacentária. Mas, cerca de 80% dos filhotes que adquirem o vírus morrem na fase fetal ou neonatal.

Assim como a FIV, FELV só é transmitida de gato para gato.

Quais os sintomas da FELV?

A FELV compromete a imunidade do gato, e por isso, os sintomas são: perda de peso, anemia, depressão, tumores, dificuldades respiratórias, febre, anorexia, problemas nas gengivas, problemas estomacais e mucosas alteradas na região dos olhos e de órgãos como rins, baço e fígado.

O vírus da FELV pode permanecer no organismo por anos sem o gato manifestar nenhum sintoma, mas podendo ser transmitida.

Como saber se meu gato tem FIV ou FELV?  

Quase todas as clínicas veterinárias fazem o exame. E o mais comum é o método ELISA, que é feito através de um kit onde o resultado sei praticamente na hora.

Além dele, existem outros métodos, como o PCR, onde a amostra de sangue é testada em laboratório, e é um método mais confiável que o ELISA.

Porém, quando se fala em exame, existem muitas dúvidas, Nenhum teste é 100% seguro, e fatores como problemas durante a coleta do sangue ou a fase em que se encontra a doença no organismo podem alterar o resultado.

Em alguns casos, pode-se ter um falso-positivo ou um falso-negativo. Por isso, os médicos veterinários recomendam testar o mesmo gato mais de uma vez. Após o primeiro teste, é recomendado testá-lo novamente dentro de aproximadamente 3 meses para confirmar o resultado.

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta