Maus tratos: “Pura maldade humana; falta de caráter”

“A compaixão pelos animais, está intimamente ligado à bondade de caráter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem” palavras ditas pelo filosofo alemão Arthur Schopenhauer no século XIX, quando a sociedade passava por grandes transformações, entre elas o modo de ser agir e pensar.

Atualmente muitas discussões vêm ocorrendo á cerca dos maus tratos a animais e sendo amplamente difundido pela mídia, mostrando como a humanidade tem se comportado diante de tais fatos.

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais[1] (UNESCO, 1978), no seu preâmbulo, declara que todo o animal possui direitos e que o desconhecimento e o desprezo desses direitos têm levado e continuam a levar o homem a cometer crimes contra os animais e contra a natureza.

Considera que o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais constitui o fundamento da coexistência das outras espécies no mundo; que os genocídios são perpetrados pelo homem e há o perigo de continuar a perpetrar outros; que o respeito dos homens pelos animais está ligado ao respeito dos homens pelo seu semelhante; e que a educação deve ensinar desde a infância a observar, a compreender, a respeitar e a amar os animais.

Qual a razão para se maltratar um animal? Devido aos inúmeros fatos contra os animais podemos dizer uma coisa:“Pura maldade humana; falta de caráter”.

A violência e a tortura de animais revela desvio de personalidade

A ciência sabe que nossa diferença em relação aos animais é apenas de grau, não de essência. Seus órgãos tem função similar à humana, por isso os animais reagem aos estímulos dolorosos. O sistema límbico (responsável pelas emoções e sentimentos) é idêntico em todos os mamíferos, exceto que no homem o córtex cerebral (responsável pela reflexão) é muito mais desenvolvido.

Essa “supremacia humana” é que canaliza o direito humano de se utilizar da opressão, maus tratos, inclusive para garantir lucro com comércio na venda de animais e que sofrem com as privações inerentes a este ato.

Nos últimos tempos a sociedade tem combatido atitudes de crueldade e maus-tratos contra animais domésticos e silvestres, levando a vários países a criarem regras mais rígidas de proteção aos animais.

Entre os atos de maus-tratos e crueldades estão: o abandono; manter animal preso por muito tempo sem comida e contato com seus donos/responsáveis; deixar animal em lugar impróprio e anti-higiênico; envenenamento; agressão física, covarde e exagerada; mutilação; utilizar animal em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causar pânico e sofrimento; não procurar um médico veterinário se o animal estiver doente.

A lei dos Crimes ambientais em seu artigo 32 tipifica como crime o ato de praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A pena para este tipo de crime é a detenção, que pode ir de três meses a um ano, além de multa. Ou seja, maltratar animal é crime.

Ante o exposto, podemos concluir que, provocar lesões físicas e estresse desnecessário aos animais constitui crimes. Também constitui-se crime: abandonar animal de estimação deixando eles passarem fome e desabrigados, já que dependem do seu dono para sobreviver.

Faça sua parte, caso você veja ou saiba de maus-tratos cometidos contra qualquer tipo de animal, vá a uma delegacia de polícia mais próxima para lavrar boletim de ocorrência.

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta