Prefeito é condenado a 20 anos de prisão por ordenar morte de 400 cães

O juiz Leonel Figueiredo Cavalcanti classificou os envolvidos como pessoas de personalidades reprováveis, frias e calculistas.

Marcelo José Beltrão Pamplona, ex-prefeito de Santa Cruz do Arari, cidade localizada na região do Marajó, foi condenado a 20 anos de prisão após ordenar a matança de cerca de 400 cachorros de rua no município.

A decisão foi proferida pelo juiz Leonel Figueiredo Cavalcanti, titular da comarca de Cachoeira de Arari, onde são processadas as demandas de Santa Cruz. O caso, que aconteceu em 2013, repercutiu mundialmente, sendo chamado de “canicídio”.

Junto a Pamploma, outras seis pessoas foram condenadas por envolvimento na chacina: Luiz Carlos Beltrão Pamplona, Waldir dos Santos Sacramento, José Adriano dos Santos Trindade (vulgo Bidê), Josenildo dos Santos Trindade (vulgo Nicão), Odileno Barbosa de Souza e Alex Pereira Costa.

Eles foram considerados culpados por crimes ambientais continuados, pois os maus-tratos foram sucessivos. O ex-prefeito também foi apenado por tentar obstruir as investigações, intimidando e agredindo testemunhas.

Multa de R$ 1,7 milhão

O juiz Leonel Figueiredo Cavalcanti classificou os envolvidos como pessoas de personalidades reprováveis, frias, calculistas e insensíveis ao sofrimento dos animais ante a supremacia da espécie humana. Por isso, somado aos 20 anos, ele também determinou que Pamplona pague uma multa de R$ 1,7 milhão.

Além disso, todos foram condenados a perder qualquer função pública que estejam ocupando, bem como qualquer título, eleito ou concursado. Isso porque os delitos foram praticados no exercício de função pública e no interior da administração pública.

 

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta