Vai levar seu pet ao carnaval? Cuidados básicos

Para muitos o carnaval é uma das épocas mais esperadas do ano. Tem aqueles que gostam de aproveitar o feriadão e pegar a estrada para fazer uma viagem e relaxar, os que gostam de ficar em casa e assistir os vários desfiles das escolas de samba e aqueles mais animados que não perdem nenhum bloquinho!

Se você quer levar seu pet junto com você no bloquinho, lembre-se que não é uma tarefa fácil. Requer MUITA atenção e responsabilidade. Como é um ambiente muito agitado e com muitas pessoas que seu pequeno não conhece, não recomendamos você levá-lo, pois ele pode ficar tímido ou inquieto, com medo. E muitas vezes quando nossos pequenos não se sentem confortáveis com essas situações, eles podem reagir de maneira reativa mordendo, avançando em alguém ou até fugindo!

Não por ser um pet agressivo, mas por sentir medo e não querer que algo ou alguém se aproxime dele ou até mesmo de você, afim de te proteger. Por esses motivos, não recomendamos que você leve seu pet pra folia, apenas se ele for muito sociável, tranquilo, e acostumado com bastante movimento.

Visibilidade

Aplique fitas refletoras na fantasia do bichinho, assim, ele poderá ser visto durante a noite por motoristas e ciclistas. O produto pode ser facilmente encontrado em lojas de equipamentos esportivos e garante a visibilidade de seu pet no escuro.

Tecidos – Conforto

Não deixe para estrear a fantasia do pet no Carnaval. Procure vestir o animal com a roupinha outras vezes para que ele se acostume. Lembrando que caso ele não goste, é preciso respeitá-lo e não insistir.

Evite tecidos pesados na hora de escolher a fantasia do bichinho e, de preferência, faça a estreia da roupa antes de ser usada no Carnaval. Outro ponto importante é ter cuidado com peças que se soltam com facilidade, como botões e laços. Eles podem ser engolidos pelos pets.

Tenha certeza que a fantasia não está muito apertada no animal.

O dono deve conseguir colocar três dedos entre a roupinha e o corpo do pet, especialmente no pescoço, para garantir seu conforto. Durante o passeio é bom certificar-se com frequência se o cachorro não está com calor ou incomodado. Outro ponto a observar é o seu tecido, que não deve ser grosso. Como os cães não suam como os humanos, uma roupa muito pesada dificultará ainda mais sua transpiração.

 

Transporte

Sair com o pet em um local repleto de pessoas estranhas e outros animais pode ser uma experiência excitante ou mesmo amedrontadora para o seu bichinho. Sendo assim é importante o uso de guia e coleira para evitar que os cachorros se estranhem ou briguem. A guia e coleira também evitam que os cães se percam do dono.

Hidratação

Evite sair com os animais entre às 10h e às 16h, período em que o sol está mais quente. Não esqueça de passar protetor solar na ponta das orelhas, focinho e barriga do pet, principalmente os de pelagem branca. Levar também uma garrafinha de água e um recipiente para oferecer com frequência o líquido ao animal.

Coleira + Guia

Apesar de ser óbvio, vale lembrar que em hipótese alguma você deve sair de casa com seu pet sem coleira e guia, sobretudo em um ambiente tumultuado e cheio como um bloquinho de carnaval. Por mais que seu cachorro seja super educado e não saia do seu lado, mesmo sem coleira, não pense duas vezes e coloque uma coleira + guia. Lembre-se, é sempre melhor previnir do que remediar.

Cuidado com os barulhos

Nossos pequenos, sobretudo os cães, tem uma audição muito mais desenvolvida do que a nossa. Então o que pode não estar muito alto para nós, para ele pode estar absurdamente alto. E como no carnaval o que não falta é musica, devemos ficar atentos para evitar que nossos peludos fiquem muito próximos às caixas de som.

Atenção com animais de focinho curto

Animais braquicefálicos (com focinhos curtos) como cães das raças Pug, Bulldog e Shih-Tzu e gatos Persas, são mais susceptíveis a hipertermia e choque térmico. Eles precisam de cuidado extra! Limite os exercícios, faça mais pausas, ofereça mais água e líquidos, fuja do sol e do calor!

Fique atento aos sinais

Se seu pet está ofegante, salivando muito, não quer andar, comer, beber água fique atento! Ao ver estes sinais de forma mais leve, ofereça um período de descanso na sombra com água fresca para seu pet!  Um animal excessivamente ofegante (especialmente gatos ofegantes), com dificuldades para respirar, aumento da frequência cardíaca e respiratória.

Ou ainda com fraqueza muscular, salivação excessiva, muito parado ou muito agitado, vomitando, com a língua e mucosas azuladas ou acinzentadas, perda de consciência e convulsões pode estar com choque térmico, não perca tempo! Coloque sacos de gelo (especialmente nas axilas e nas região da barriga e entre as patas de trás), ligue o ar condicionado ou ventilador do carro e vá para o hospital veterinário mais próximo.

Paulo do Amaral

Jornalista fundador do Vida Pet News – O Portal Capixaba de noticias dos animais – https://www.facebook.com/VidaPetNews

Deixe uma resposta